Diniz não resiste a derrota para o Flamengo e deixa o comando do Fluminense

Técnico sucumbiu após sequência negativa e encerra sua 2ªpassagem no clube com o pior início na história

| JHEFFERSON GAMARRA / CAMPO GRANDE NEWS


Fernando Diniz durante treinamento nas Laranjeiras (Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.)

Fernando Diniz não é mais o treinador do Fluminense. Após a derrota para o Flamengo, no último domingo (24), no Maracanã, que manteve o clube na lanterna do Brasileirão, e uma longa reunião com a diretoria tricolor nesta segunda-feira (25), chegou ao fim a passagem do comandante nas Laranjeiras.

Vaiado pela torcida nas últimas semanas, Diniz admitiu no domingo que houve relaxamento da equipe depois dos títulos da Libertadores e da Recopa. Quatro dias antes, após a derrota para o Cruzeiro, ele havia afirmado que seu time foi 'muito leniente' após as conquistas.

O Fluminense venceu apenas um dos 11 jogos que disputou no Brasileirão até agora, acumulando três empates e sete derrotas. Este é o pior início tricolor na história dos pontos corridos. Em maio, a diretoria havia renovado o contrato de Diniz até dezembro de 2025, mas os resultados negativos apressaram sua saída.

Fernando Diniz retornou ao Fluminense em abril de 2022 e viveu seu melhor momento em 2023, quando conquistou o Campeonato Carioca e o título inédito da Libertadores. Nesta temporada, também levantou a taça da Recopa Sul-Americana, com vitória sobre a LDU.

O treinador encerra a sua segunda passagem como o mais longevo do Fluminense no século 21. No último dia 21 de junho, ele chegou a 783 dias no cargo, superando Abel Braga, que comandou o Tricolor de junho de 2011 a julho de 2013. Na primeira passagem de Diniz, ele ficou nas Laranjeiras de dezembro de 2018 a agosto de 2019.

Diniz também comandou a seleção brasileira simultaneamente durante este período, mas sem o mesmo sucesso: em seis jogos, obteve vitórias sobre Bolívia e Peru, empate com a Venezuela e derrotas para Uruguai, Colômbia e Argentina.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE