Exportação fluvial de soja e açúcar em Porto Murtinho deve dobrar em 2023

Portuário do município fronteiriço já tem exportação de 675 mil toneladas contratadas até o fim deste ano

| GUILHERME CORREIA / CAMPO GRANDE NEWS


Embarcações transportam produtos no Rio Paraguai, em Porto Murtinho. (Foto: Divulgação/Governo de MS)

Exportações de produtos - sobretudo a soja -, devem bater recorde, neste ano, em Mato Grosso do Sul, via portuário de Porto Murtinho, a 439 quilômetros de Campo Grande. A expectativa é que o índice tenha aumento mais que o dobro e supere as 700 mil toneladas. No ano passado, foram mais de 300 mil toneladas de soja e açúcar.

Até o momento, o porto privado localizado no município movimentou 122,4 mil toneladas e a empresa tem contratado até o final do ano o equivalente a 675 mil toneladas.

Atualmente a movimentação de cargas é feita pelo Terminal Portuário do Grupo FV, inaugurado em 2020. O terreno do terminal abrange 50 hectares, possuindo o total de 26 hectares de área útil, sendo 500 metros de frente para o Rio Paraguai.

A capacidade de fluxo de embarque é de mil toneladas por hora para o transbordo de soja, milho e açúcar, assim como a importação de fertilizantes. A estrutura tem capacidade de movimentar até dois milhões de toneladas de grãos por ano.

Aumento - O bom desempenho das movimentações de cargas na hidrovia do Rio Paraguai se deve a melhoria das condições de navegação com o maior volume de chuvas na região e também pelas políticas públicas desenvolvidas pelo Governo do Estado.

Em publicação no site oficial de notícias do governo estadual, o titular da Semadesc (Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Inovação e Tecnologia), Jaime Verruck, destacou a importância desta retomada da movimentação de cargas.

'É um momento positivo para Mato Grosso do Sul, já que o transporte pela hidrovia tem menor custo e permite a redução no tráfego de caminhões pela rodovia', diz ele, que atribui o sucesso também ao PROEXPRP (Programa de Estímulo à Exportação ou à Importação pelos Portos do Rio Paraguai).

O programa estima que, até dezembro de 2032, serão concedidos incentivos tributários às empresas que construírem e utilizarem terminais de embarque e desembarque de mercadorias utilizando portos em Corumbá, Porto Murtinho e Ladário.

A vigência dos incentivos pode ser até 31 de dezembro de 2032, prazo garantido desde que os produtos exportados sejam por meio de “embarque por meio de infraestrutura portuária construída e mantida pela empresa interessada'.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE